Movimento Mundial pelas Florestas Tropicais

Honduras: assassinato de um jornalista enfrentado à mineração

Na quarta-feira, dia 26 de novembro de 2003, foi assassinado com um tiro na cabeça o jornalista Germán Antonio Rivas, diretor-gerente da Corporação Maya Televisión da cidade de Santa Rosa de Copán, na região ocidental de Honduras, na fronteira com a Guatemala. Rivas era diretor do noticiário “CMV-Noticias”, que se caracteriza por seu conteúdo crítico perante a instalação de uma empresa mineira no Parque Nacional “El Guisayote de Ocotepeque”, no departamento do mesmo nome. Nesse programa questionavam-se as atividades da empresa mineira pelo impacto sobre o meio ambiente e a conservação dos recursos naturais.

No passado 24 de fevereiro, Rivas tinha sobrevivido uma tentativa de assassinato e tinha recebido reiteradas ameaças de morte por telefone e de forma anônima. Estava convencido de que o ataque sofrido estava relacionado com seus relatórios na televisão sobre os danos ecológicos causados pela empresa mineira Minerales de Occidente (MINOSA), particularmente sobre um vazamento de cianeto no rio Lara, afluente do rio Higuito, que fornece água potável à cidade de Santa Rosa de Copán. “Não me atrevo a garantir [que tenha sido alvo do atentado pelas denúncias], mas não o descarto. Dizer isso coloca em grave risco minha vida e a da minha família”, admitiu Rivas.

Em um caso similar, Marisol Tábora, membro da Associação de Órgãos Não Governamentais (ASONOG), uma coalizão da sociedade civil, foi ameaçada judicialmente por realizar investigações sobre a morte de peixes e outras espécies depois do vazamento de cianeto nos arredores da mina localizada no município de La Unión, Copan.

A polícia manteve-se em silêncio a respeito do assassinato de Rivas, argumentando que não tem achado um móbil para o atentado. Mas não são suficientes os antecedentes para pelo menos considerar à indústria mineira como possível suspeita?

Artigo baseado em informação obtida de: “Acción Urgente”, Comité de Familiares de Detenidos Desaparecidos en Honduras (COFADEH) (Comitê de Familiares de Detidos Desaparecidos em Honduras), http://www.caritaspanama.org/accionsolidaria/accion_urgente_cofadeh.htm ; “Urgent Action. Journalist Assassinated in Honduras”, http://www.ourworldisnotforsale.org/action/17.htm