Movimento Mundial pelas Florestas Tropicais

Brasil: Lucro crescente não impede demissões. A Fibria Celulose no Mato Grosso do Sul

fibria

 

No 25 de agosto 2015, trabalhadores das operações da empresa Fibria em Três Lagoas, Mato Grosso do Sul, tornaram públicas as demissões recentes praticadas pela empresa – um dos maiores produtores de celulose no Brasil. “Somente nas últimas semanas foram cerca de 18 demissões. E o mais grave, em alguns casos trabalhadores com doença ocupacional foram demitidos.” As demissões são considerados como represália à mobilização dos trabalhadores para criação dum novo sindicato da categoria. Os trabalhadores vejam a fundação do Sindicato do Trabalhador Florestal a inícios do setembro de 2015 como iniciativa essencial para enfrentar a empresa que está submetendo seus trabalhadores a longas jornadas de trabalho com baixos salários. Enquanto a fabrica em Três Lagoas tem revelado lucros crescentes a cada semestre, os operários recebem os menores salários da categoria quando comparados aos salários pagos a trabalhadores de outros estados. E a empresa recentemente anunciou a ampliação da fábrica de celulose com a construção de mais uma unidade, esperando de mais investimentos do BNDES e uma continuação da isenção fiscal. Um relatório lançado pelos trabalhadores da Fibria em sessão da Câmara municipal de Três Lagoas denuncia graves irregularidades praticadas pela empresa.

Leia o relatório (em Português): Relato Trabajadores Fibria – Demissões na FIBRIA Celulose

Lucro e demissões na FIBIRA Celulose