Movimento Mundial pelas Florestas Tropicais

MST protesta contra as transnacionais de mineração VALE e de monocultura eucalipto e celulose FIBRIA

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST)declarou que “estamos iniciando o ano de 2013 com muitas lutas, e essa será a resposta do MST a irresponsabilidade dos governos. Se não lutarmos pela reforma agrária que está paralisada e pela condenação do assassino Adriano Chafik que matou 5 Sem-Terra e após 8 anos ainda permanece solto continuaremos sendo mortos”.

O MSTinforma que um trem de transporte da empresa VALE foi parado essa manhã por trabalhadores do MST, no município de Tumiritinga, em meio a uma fazenda improdutiva, chamada Rancho Miura, em poder da empresa FIBRIA e reservada pela empresa para futuro plantio de monocultivo de eucalipto.

“.Os trabalhadores nesta fazenda ocupada da FIBRIA e em mais 20 outras ocupações de terras improdutivas protestam contra a decisão do aparato repressor do estado de despejar eles dessas áreas, e contra o conchavo entre o estado brasileiro e as empresas transnacionais e o latifúndio mostrado pelo fato que o Estado financia com dinheiro público a apropriação de áreas por empresas como FIBRIA.Os cerca de 1000 trabalhadores sem-terra afirmam que vão continuar ocupando a área e a trilha da VALE