Movimento Mundial pelas Florestas Tropicais

Tailândia: a ameaçadora catástrofe das plantações de dendê para biodiesel

O governo tailandês estabeleceu sua política de produção de biodiesel a partir de azeite de dendê como fonte de energia. Atualmente, as áreas de produção de dendê em grande escala do país abrangem cerca de 400.000 hectares, mas desde 2006 tem surgido um discurso que promove a plantação de dendê como uma “fonte de energia renovável”, uma “salvação para o país”, um “projeto de reflorestamento”, uma “ zona de proteção contra o vento”, e uma “transformação dos arrozais abandonados em terras para dendezeiros”.

A fim de concretizar a ambição do governo seria necessária uma produção diária de 8,5 milhões de litros de biodiesel. Isso significa uma expansão de outros 800.000 hectares de plantações de dendezeiros entre 2006 e 2009, completando um total de 1,2 milhão de hectares destinados à palmicultura. Até 2029, as áreas plantadas chegariam a 1,6 milhão de hectares.

Todas as pesquisas têm objetivado o desenvolvimento de técnicas de monocultura a fim de maximizar a produção de dendê, mas o governo tailandês nunca revelou os impactos ambientais de tais cultivos.

Preocupa em grande medida o fato de o governo tailandês nunca ter esclarecido que as terras usadas para a plantação de dendê geralmente se deterioram em decorrência da produção com base em monoculturas, já que implica um elevado uso de produtos químicos. A produção de dendê de forma integrada é difícil devido ao grande tamanho das palmeiras e devido a suas fibrosas raízes que se espalham por todas partes. Cada árvore de aproximadamente três toneladas só permite o crescimento de poucas espécies vegetais em suas plantações. Encontrar um lugar nas plantações é muito difícil para animais que vivem no solo como as minhocas. Eliminar as árvores mortas e suas raízes é uma tarefa complicada e custa muito dinheiro porque implica o uso de uma excavadora para arrancar as raízes ou de produtos químicos para destruí-las.

O governo providenciou financiamentos, matérias primas e outros insumos aos agricultores. Esta promoção ativa originou a rápida expansão das áreas de plantação, especialmente nas florestas de bacias hidrográficas, áreas alagadas, florestas públicas comunitárias e arrozais. Se a expansão das áreas de plantação de dendezeiros for realizada de acordo com o plano do governo, a Tailândia perderia irreversivelmente sua segurança alimentar, suas florestas e sua diversidade biológica. Isso significaria uma catástrofe para o povo tailandés.

Extraído e adaptado de “Ten Million Rai of Oil Palm Plantation: A Catastrophe for the Thai People”, por Bandita Yangdee, Project for Ecological Awareness Building (EAB), enviado por Sayamol Kaiyoorawong, e-mail: noksayamol@yahoo.com. O artigo na íntegra está disponível em: http://www.wrm.org.uy/countries/Thailand/Catastrophe.pdf