Movimento Mundial pelas Florestas Tropicais

Solicitam a suspensão das obras da UPM até que sejam atendidos os requisitos ambientais de sua autorização

Integrantes do Movimento por um Uruguai Sustentável (Movus) denunciam na Justiça que a empresa de celulose UPM não cumpriu as condições ambientais que permitiram a instalação de sua nova fábrica de celulose no departamento de Durazno, Uruguay. Exigem a suspensão das obras em andamento enquanto esses requisitos não forem totalmente atendidos.

Pressionado para cumprir os prazos acordados em contrato, quando a UPM ainda não havia confirmado sua decisão de investimento, o governo anterior autorizou a fábrica de celulose com a condição de que a empresa posteriormente concluísse os elementos-chave do projeto. Porém, a UPM iniciou a construção da planta sem atender a esses requisitos, alguns dos quais definem a viabilidade ou não do projeto.  Leia mais aqui.